Embraer convoca recall, e Anac proíbe voo de aeronave Phenom 300
< Voltar para notícias
297 pessoas já leram essa notícia  

Embraer convoca recall, e Anac proíbe voo de aeronave Phenom 300

Publicado em 18/11/2019

Jato executivo mais vendido do mundo apresenta desgaste de peças

SÃO PAULO

O jato executivo mais vendido do mundo, o Embraer EMB-505, modelo Phenom 300, terá de passar por recall devido ao desgaste de peças de balanceamento dessas aeronaves.

O aviso sobre o problema foi divulgado pela empresa no dia 30 de outubro, de acordo com informações da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), que emitiu na última quarta-feira (13) documento proibindo o voo dos jatos que apresentarem tal desgaste.

 

“A decisão determina que, nos casos em que são encontrados desgastes nas peças indicadas, a aeronave fica impedida de voar enquanto não forem realizadas as ações de manutenção corretivas estabelecidas pela fabricante”, diz a Anac em nota.Segundo a agência, a fabricante havia emitido um Boletim de Serviço Alerta em outubro requerendo inspeções adicionais para coletar informações e garantir a segurança operacional dessas aeronaves.

Após obter mais informações, a Embraer anunciou o recall, com o objetivo de eliminar a condição de desgaste de forma mais imediata nas aeronaves com maior tempo em operação e mais expostas à condição de desgaste.

O documento emitido pela agência, chamado DA (Diretriz de Aeronavegabilidade), é utilizado para impor novos procedimentos de manutenção para aeronaves que já estão em operação, quando se identificam questões não previstas durante a certificação da aeronave.

“Ela é de cumprimento mandatório para todos os operadores, tanto no Brasil como, assim que adotada, nos demais países onde aeronaves especificadas na DA estejam em operação”, diz a Anac.

Como o projeto da aeronave foi desenvolvido no Brasil, cabe à Anac emitir a comunicação também aos demais países nos quais o jato pode operar.

A Embraer completou em agosto de 2019 os seus 50 anos, como maior exportadora de produtos com alto valor agregado do país, tendo vendido mais de 8.000 aviões.

Na semana passada, acionistas minoritários da empresa recorreram à Comissão Europeia para tentar impedir a consumação da venda do controle da divisão de aviação comercial da Embraer para a Boeing.

A venda de 80% da divisão de aviação comercial da Embraer, principal geradora de recursos da empresa, para a Boeing deveria ser concluída até o final deste ano, mas a União Europeia decidiu em outubro avaliar com profundidade o negócio, estabelecendo como prazo para uma decisão fevereiro de 2020.

Fonte: Folha Online - 15/11/2019

297 pessoas já leram essa notícia